25 ANOS DE PRESENÇA MISSIONÁRIA EM BUIPE, GANA

Set 16, 2021 | Aniversários, East Nigeria, Painel dos avisos, Procuradoria Missionária, Solidariedade e Missão

  • Abertura do Ano Jubilar
  • O Núncio Apostólico abençoa o Santuário Mariano
  • Colocada em funcionamento a fábrica de moinhos de milho patrocinada pela Proclade

O dia 22 de agosto de 2021 permanecerá para sempre indelével nas mentes e nos corações dos habitantes de Gonja Central, tanto católicos quanto não católicos, adultos e crianças, membros da realeza e membros do povo, dos alunos e dos professores. Foi um dia em que a Paróquia Rainha da Paz de Buipe, Diocese de Damongo, Região de Savanna, abriu as suas bodas de prata; um dia em que a Gruta de Nossa Senhora Rainha da Paz foi abençoada pelo Núncio Apostólico em Gana, Sua Excelência Dom Henryk Mieczyslaw Jagodzinki. Foi histórico, único e simbólico. Foi histórico porque a paróquia estava prestes a completar 25 anos, segundo as crônicas dos seus fundadores. Era único no sentido de que não haveria outra celebração de bodas de prata como esta, seja em sua natureza ou em sua forma. Foi simbólico no sentido de que a Gruta de Nossa Senhora Rainha da Paz, construída pelo Dr. Evan Kwara, foi abençoada e a Fábrica de Moinhos de Milho, patrocinada pela Fundação Santiago Proclade, de Roma, foi encomendada e entregue às Mães Cristãs para a sua gestão e administração de acordo com os ODS da ONU e o projeto de autossuficiência “Damongo 2021 a 2026”.

Breve história da Paróquia Rainha da Paz de Buipe

A Paróquia Rainha da Paz de Buipe foi criada a partir da Paróquia de Santa Ana de Damongo em 1995 e foi criada no dia 22 de março de 1996 com o seu primeiro pároco, Pe. Lázaro Annyereh, sacerdote da Diocese de Damongo. Foi entregue oficialmente aos Missionários Claretianos da Nigéria, atual Província East Nigeria, no dia 1º de fevereiro de 1998, com dois missionários designados: os Padres Martin Okoro e Agostinho Amadi, CMFF.

Providencialmente, a sementinha de mostarda, que era uma posição missionária externa da Catedral de Santa Ana de Damongo, cresceu para ter quatro, a saber: São Paulo Lito, Santo Estêvão Bornyamu, Santa Rita Kokokpe e São Pedro e São Paulo Mpaha. Possui também três comunidades cristãs, a saber: a Comunidade Cristã de Santa Luzia Yipala, a Comunidade Cristã de São Miguel Buruwase e a Comunidade Cristã de Ponte de Santa Ágata. A paróquia também gerou um padre, o Pe. Luke Lansah, e uma freira, a Irmã Rita Kekeli.

Abertura das Bodas de Prata da Paróquia Rainha da Paz, Buipe

As atividades do dia começaram com um encontro que teve lugar no palácio de Sua Majestade Buipewura (Jinapor II). A reunião contou com a presença de Sua Excelência o Bispo Henryk Mieczyslaw Jagodzinki e de Sua Excelência o Bispo Peter-Paul Yelezuome Angkyier, Bispo da Diocese de Damongo e o Pe. Hilary Anadu, CMF. O Bispo Dom Peter Paul apresentou então o Núncio Apostólico à Sua Majestade e também descreveu o propósito da visita. Sua Excelência Dom Henryk Mieczyslaw Jagodzinki falou principalmente da necessidade de colaborar com os esforços do Papa Francisco na proteção do meio ambiente e na luta contra a degradação ambiental. Em seguida, destacou a necessidade de colaborar e construir uma sociedade humana pacífica e justa. A paz – disse – ajuda o florescimento humano e o desenvolvimento de qualquer sociedade”. Concluiu agradecendo a Sua Majestade Buipewura por colaborar com a Igreja por uma sociedade pacífica e pela luta contra a degradação do meio ambiente. Dom Peter-Paul corroborou as palavras do núncio apostólico e afirmou a necessidade da instituição da liderança e da igreja trabalharem juntas para proteger nosso meio ambiente e também para manter uma sociedade pacífica. Em resposta, Buipewura agradeceu ao enviado papal e afirmou que “foi a primeira vez que um representante do Papa o visitou” e, por extensão, toda a diocese de Damongo. Assim, sublinhou a necessidade de colaborar com a Igreja, especialmente no setor agrícola. Buipewura agradeceu especialmente à Igreja por seu impacto na área da educação e declarou a necessidade de diversificar a agricultura.

As celebrações

Em um longo e solene comboio formado por padres, imprensa e cinegrafistas, Dom Henryk Mieczyslaw Jagodzinki chegou à paróquia Rainha da Paz em Buipe na companhia do Bispo Dom Peter-Paul Angkyier. A Associação dos Filhos de Maria ofereceu-lhes uma recepção com tapete vermelho, com cantos de boas-vindas e a entrega de ramalhete de flores. O Núncio Apostólico recebeu um crucifixo do Pe. Hilary, CMF (o pároco) através de Sua Excelência Dom Peter-Paul, que ele (o Núncio Papal) beijou e devolveu ao Pe. Hilary. Esses rituais de beijar o crucifixo e borrifar água benta na entrada foram muito cativantes.

A celebração eucarística foi presidida por Sua Excelência Dom Henryk Mieczyslaw Jagodzinki e concelebrada por Dom Peter Paul Angkyier, Padre Hilary Anadu e outros sacerdotes presentes. Na sua homilia, o Núncio Apostólico disse: “… vinte e cinco anos é muito tempo e pouco ao mesmo tempo, vinte e cinco anos é uma história que dá conta da longevidade de uma geração e que a paróquia é uma grande família de quem segue a Cristo e, portanto, a necessidade de viver juntos em paz. O coração do homem não repousa até que repouse em Deus, e só Deus pode dar a verdadeira paz”. Ele prosseguiu dizendo que “Nossa Senhora nos ensina a não nos contentarmos com a paz em nossas casas e em nossa família, mas também onde vivemos em nossa paróquia e para onde Deus nos envia”. Concluindo, disse que “temos que ser pacificadores para mostrar ao mundo que a fé católica é paz e glória”.

No final da celebração eucarística, houve discursos e mensagens de boa vontade do Vice-Presidente do Conselho Pastoral Paroquial, Sr. Richard Abodoo, Dr. Evans Kwara, que patrocinou a construção da Gruta Mariana, membro do Parlamento, o Honorável John Jinapor, Pe. Perpetus Igwe, CMF (que representou o Superior Provincial), o Coordenador da Missão de Gana, Pe. Cyriacus Asiegbu, CMF, e o Bispo da Diocese, Dom Peter-Paul Angkyier. O pároco, Pe. Hilary Anadu, CMF, exuberante de alegria, declarou que o Jubileu é uma celebração da providência de Deus e seus inesgotáveis ​​favores, vinte e cinco anos de desafios e fraquezas, vinte e cinco anos de conquistas e sucessos e, finalmente, vinte e cinco anos espalhando a palavra de Deus nesta parte do país. Em suma, é uma celebração para passar da idolatria ao culto do Deus vivo, da ignorância ao esclarecimento através dos missionários, do cativeiro à liberdade; uma celebração para confortar corações partidos e todos os que choram; uma celebração para proclamar boas novas aos mansos, para curar os corações quebrantados. É uma celebração da misericórdia, providência, amor e salvação universal de Deus. Na verdade, é um apelo à celebração e à gratidão a Deus. O Jubileu de Prata inclui atividades como o cuidado pastoral para os enfermos e idosos, peregrinação a locais sagrados, esportes entre jovens de várias denominações e religiões e outras atividades inspiradoras e repletas do espírito a fim de maximizar os benefícios espirituais deste momento sagrado e santo.

A celebração se concluiu com o “Salve Regina” no Moinho entoado pelo Bispo D. Pedro-Paul. Seguiu-se o aspecto social do evento, no qual foram recebidos convidados e paroquianos.

 

Compilado pelo Pe. Hilary Anadu, CMF

 

 

 

[envira-gallery id=”105135″]

Categorias

Arquivos

claretian martyrs icon
Clotet Year - Año Clotet
global citizen

Documents – Documentos