Os Missionários Claretianos no Fórum Permanente das Nações Unidas para os Assuntos Indígenas

Mai 5, 2019 | Presença na ONU, Solidariedade e Missão

Nova York, Estados Unidos. A 18ª sessão do Fórum Permanente das Nações Unidas sobre Questões Indígenas (UNPFII) foi realizada na sede da ONU, em Nova York, de 22 de abril a 3 de maio de 2019. Este evento anual atraiu quase 2.000 líderes indígenas, ativistas e representantes governamentais de todos os cantos do mundo para as Nações Unidas. O tema do Fórum foi “Conhecimento tradicional: geração, transmissão e proteção”.

O Pe. Paulus Marandi, CMF da Província EUA-Canadá e Pe. Rohan Dominic, CMF, representaram a ONG claretiana, Fondazione Proclade Internazionale – Onlus no Fórum Permanente deste ano. Proclade, como membro do Comitê de ONGs sobre os Direitos dos Povos Indígenas, o Grupo de Trabalho sobre Mineração de ONGs e a Coalizão de Religiosos de Justiça (JCoR), copatrocinaram alguns dos eventos paralelos e adjuntos durante o Fórum.

O Fórum Permanente cria conscientização e promove a integração e coordenação de atividades relacionadas com as questões indígenas dentro do sistema das Nações Unidas, preparando e divulgando informação para todos sobre questões indígenas.

No fórum deste ano houve debates e deliberações sobre diferentes aspectos do Conhecimento Tradicional dos povos indígenas.

O conhecimento tradicional é de propriedade coletiva, seja na forma de histórias, canções, crenças, leis consuetudinárias e obras de arte ou conhecimento científico, agrícola, técnico e ecológico, bem como as habilidades para implementar essas tecnologias e conhecimentos. O conhecimento tradicional não apenas oferece aos povos indígenas enormes possibilidades a vida cotidiana e o desenvolvimento sustentável e coletivo, mas também reflete suas visões holísticas do mundo, que são consideradas uma importante fonte de diversidade cultural e biológica.

O conhecimento tradicional tem sido frequentemente minado e destruído pelos estados coloniais e pós-coloniais. Agora, em muitos lugares, há um crescente reconhecimento dos direitos dos povos indígenas a fim de manter, controlar, proteger e desenvolver seu próprio conhecimento tradicional. Os povos indígenas enfrentam múltiplas ameaças e desafios para proteger suas culturas e conhecimentos tradicionais. É dever dos Estados garantir que esses direitos sejam respeitados e protegidos.

O conhecimento tradicional é o núcleo da identidade indígena, cultura, idiomas, herança e meios de subsistência. As línguas são fundamentais para a continuação e transmissão dos sistemas de cultura e conhecimento dos povos indígenas. As línguas são fundamentais para a continuação e transmissão dos sistemas de cultura e conhecimento dos povos indígenas. Não são apenas uma ferramenta de comunicação, mas também uma expressão de identidade e um sistema de valores e crenças. No entanto, a maioria das línguas indígenas está em perigo de extinção nas próximas décadas.

As Nações Unidas declararam 2019 como um Ano das Línguas Indígenas. Os povos indígenas representam menos de seis por cento da população mundial. Vivem em 90 países, representam 5.000 culturas diferentes e falam a grande maioria dos 6.700 idiomas do mundo.

Categorias

Arquivos

Não a toda violência contra as mulheres

Não a toda violência contra as mulheres

Depois de celebrar o Dia Mundial dos Pobres com a Igreja Universal, as comunidades claretianas preparam-se para aderir ao apelo global para acabar com a violência contra as mulheres. No início de novembro, a Prefeitura Geral do Apostolado compartilhou uma mensagem do...

claretian martyrs icon
Clotet Year - Año Clotet
global citizen

Documents – Documentos