11 Outubro

by | Out 11, 2018 | Claret Com Você

Ao iniciar os meus estudos em Vic, sucedia-me algo parecido com o que se passa numa forja, na qual o ferreiro coloca na fornalha uma barra de ferro e quando ela está em brasa retira-a, coloca-a em cima da bigorna e começa a dar golpes com o malho. O ajudante faz o mesmo e os dois vão alternando compassadamente marteladas e vão moldando o ferro até que adquira a forma desejada pelo ferreiro. Vós, meu Senhor e meu mestre, pusestes meu coração na forja dos exercícios espirituais e dos sacramentos, e assim, aquecendo meu coração no fogo de vosso amor e no de Maria santíssima, começastes a dar golpes de humilhações, alternando com meus próprios golpes, desferidos através do exame particular que eu fazia sobre tão necessária virtude.
Aut 342

DEIXAR QUE DEUS NOS FAÇA

O símbolo que mais aparece na pregação e nos escritos de Claret é o do fogo. Usa para falar de Deus, do Espírito Santo, do Coração de Maria. Para descobrir seu processo pessoal de transformação interior se serve de um símbolo muito familiar no mundo rural: a forja. Embora longe do nosso mundo tecnológico, continua sendo compreensível porque se baseia nos quatro elementos presentes em toda cultura: a terra, o fogo, o ar e a água. Claret se vê a si mesmo como uma barra de ferro que quer se transformar em flecha, conforme havia lido no profeta Isaías: “Fez de mim uma flecha aguda, me escondeu em sua aljava” (49,2). O que faz o ferreiro? Em primeiro lugar, coloca a barra de ferro no fogo da forja até que se torne incandescente. Depois, coloca-a sobre a bigorna e, lentamente e com precisão de artista, vai dando golpes com o martelo até conseguir dar a forma desejada. Finalmente, quando a barra de ferro se converte em flecha, coloca-a na água para que adquira a têmpera justa.
Com grande simplicidade, Claret aplica esta bela alegoria à sua transformação pela graça do Pai. Para converter-se em flecha missionária, Deus o coloca primeiro na experiência do fogo do seu amor através dos exercícios espirituais e sacramentos. Aquecido, iluminado e temperado pelo fogo do amor de Deus, vive um lento processo de configuração com Cristo na bigorna da vida cotidiana. As marteladas significam as virtudes e os meios ascéticos que o ajudam a adquirir a “forma de Cristo”. Convertido em flecha aguda, é introduzido na água do Espírito Santo para ser lançado como mensageiro do evangelho aos pobres.
Também a nós é aplicável a alegoria da frágua. Para sermos testemunhas convincentes, precisamos da experiência do fogo, isto é, da experiência do amor de Deus e da bigorna, isto é, do processo de configuração com Jesus Cristo.

Categorias

Arquivos

21 Dezembro

Nunca me cansava de estar na igreja diante de Nossa Senhora do Rosário e falava e rezava com tal confiança, que acreditava que Nossa Senhora me ouvia. Parecia-me que desde a imagem, diante da qual orava, havia como que uma conexão com fio até a original, que está no...

20 Dezembro

Se alguma coisa lhes causar dor ou incômodo, sofram tudo com resignação pensando que esta é a vontade do Senhor. Se puderem dar alguma esmola, façam por amor de Deus, vendo no próximo e particularmente no pobre a imagem de Jesus. Não deixem passar o dia sem ler algo...

claretian martyrs icon
Clotet Year - Año Clotet
global citizen

Documents – Documentos